A Biotecnologia no Tratamento de efluentes industriais e sanitários

A biotecnologia é a ciência que estuda e desenvolve soluções a partir do emprego de microrganismos em determinada etapa de um processo industrial a fim de atenuar seus impactos socioambientais, trazendo benefícios para a sociedade, para o meio ambiente e para a economia.
Como é amplamente difundido, a biotecnologia tornou-se um importante campo científico para o avanço tecnológico requerido para o desenvolvimento sustentável, pois, sem dúvidas, uma de suas principais atribuições seria a de eliminação total ou parcial dos impactos ambientais provenientes das atividades industriais.

Sendo assim, a biotecnologia vem sendo amplamente utilizada no tratamento de efluentes industriais e sanitários. Ainda que seu investimento a curto prazo possa assustar um pouco, principalmente em contextos de crise econômica, seus resultados a médio e longo prazo podem ser bastante significativos.
A má gestão dos recursos hídricos de um país abundante neste recurso como Brasil faz com que a atividade econômica seja extremamente prejudicada, sacrificando a lavoura, a pecuária e o abastecimento hídrico das cidades, causando um danoso desequilíbrio econômico, social e ambiental.

 

Empregando microrganismos em favor do meio ambiente

Vivemos em uma crise hídrica de nível global e, principalmente no Brasil, é necessário investir em recuperação das águas utilizadas na indústria para que seu uso difuso seja preservado e o direito humano de subsistência e dos animais de dessedentação sejam assegurados, sem obstaculizar o desenvolvimento econômico.

A ideia de se tratar os efluentes tem alguns objetivos que vão de encontro com as premissas supracitadas, podendo ser citados:

1- Aumentar a possibilidade de tratamento do efluente;
2- Redução ou eliminação de odores;
3- Buscar índices próximos da potabilidade, podendo-se reverter novamente o efluente, agora tratado, para seu reuso na indústria;
4- Diminuir o rejeito industrial, economizando nos custos de disposição final.

São muitas as maneiras de se empregar os microrganismos ou enzimas em funções proveitosas para a indústria e para o meio ambiente. As biotecnologias mais utilizadas na área de tratamento de efluente são aquelas em que os organismos atuam na degradação da matéria orgânica, quebrando suas moléculas e possibilitando ampliar seu tratamento. Outra possibilidade bastante comum é o emprego de enzimas no tratamento de água contaminada, como óleos, resíduos orgânicos, ou ainda, fezes humanas e outros tipos de dejetos. Elas são extremamente utilizadas pois sua presença proporciona a decomposição de macromoléculas de diversas propriedades.

Além destas, encontra-se no mercado a utilização de microalgas em efluentes contaminados.
Para se desenvolverem, as microalgas necessitam de nutrientes indispensáveis para o seu crescimento, assim como qualquer outra planta. Quando incorporadas a um meio rico em matéria orgânica, acabam por se tornar ‘biofiltros’ desses nutrientes, purificando significativamente a água antes contaminada.
Como podemos perceber, Biotecnologia nada mais é que a utilização da própria natureza, sem muitos rodeios (mas muita pesquisa científica!) em prol do meio ambiente e do desenvolvimento sustentável.

 

A importância da Biotecnologia para o meio ambiente

Por décadas, negligenciamos o ambientalmente correto tratamento e descarte dos resíduos e rejeitos provenientes das atividades industriais.  Mesmo que por desconhecimento dos efeitos nocivos dessa prática,
com o passar dos anos, percebeu-se que a manutenção do meio ambiente é fator fundamental para a contínua expansão econômica.

Desta forma, passamos a prestar mais a atenção nos meios de produção, de consumo e, consequentemente, dos resíduos. É imperativo desenvolver e aplicar tecnologias limpas e baratas no controle do passivo ambiental, pois este acaba por prejudicar, via de regra, a própria atividade econômica em questão. Se não tivermos disponibilidade hídrica, como fabricaremos carros, por exemplo? Resfriaremos compostos em altas temperaturas ou produziremos alimento?

Empregar a biotecnologia no tratamento dos efluentes sanitários e industriais é uma medida inteligente, segura e ambientalmente correta. Independe de recursos naturais e não impacta o meio ambiente, ao contrário de solventes e outros reagentes químicos que são utilizados para esses fins.

Alguns dos pontos positivos que devem ser frisados sobre o trabalho dos microrganismos no tratamento de efluentes são:

1-Economia de energia no processo, pois há a possibilidade de se empregar as bactérias em ambientes anaeróbicos, ou seja, sem a presença de oxigênio;
2- São 100% naturais, pois são ofertadas em abundância pela própria natureza, sem nenhum tipo de dano ao meio ambiente ou aos ecossistemas;
3- Sem geração de resíduos, pois os microrganismos podem ser incorporados ao ambiente. Ainda que haja algum tipo de resíduo, este ainda poderá ser aproveitado como um bio produto.

Biotecnologia empregada ao saneamento já é uma realidade. Com o passar do tempo, tem tudo para ganhar ainda mais espaço no tão oneroso, complicado e deficitário tratamento de esgoto sanitário no país.